pixel

A importância das fintechs no sistema financeiro nacional

Conheça a evolução das fintechs no Brasil e veja como elas impactaram os serviços financeiros nos últimos anos!


A velocidade com que o mundo está mudando aumenta exponencialmente a cada dia. Já é possível afirmar que a evolução tecnológica trazida pelos primeiros 20 anos do século 21 superou todo o período do século 20. E a expectativa é de que esse ritmo continue acelerado.

Os resultados dessa evolução são múltiplos e podem ser sentidos em todos os setores. Mas, certamente, a forma como lidamos com nosso dinheiro foi uma das mais impactadas pelos avanços tecnológicos.
O surgimento das chamadas fintechs, startups voltadas para sistemas financeiros, revolucionou um mercado historicamente tradicional. Elas trouxeram novos meios de pagamento, novas maneiras de investir e ainda alternativas para guardar nosso tão suado dinheiro.


Mas o que tudo isso significa para você, consumidor, e qual impacto das fintechs no cenário econômico brasileiro? É sobre isso que falaremos no artigo de hoje!


Mercado financeiro: o crescimento das fintechs no Brasil


A história das fintechs no Brasil ainda é curta — começou por volta de 2010, com o surgimento das primeiras startups oferecendo serviços financeiros. De lá pra cá, no entanto, o mercado de fintechs cresceu muito.
Somente de 2019 para 2020 o crescimento registrado foi de 34%. Hoje, o Brasil já conta com cerca de 600 fintechs criadas, oferecendo serviços financeiros dos mais diversos, desde plataformas digitais, investimentos, criptomoedas, crédito, crowdfunding, entre outros.


Esse crescimento não é nenhuma surpresa. Os millennials, a geração nascida entre as décadas de 1980 e 1990, já são a maior parte da população adulta do país e representam 50% da força de trabalho. E se tem uma característica em que os millennials são diferentes das gerações anteriores é no seu comportamento de consumo.
Os millennials são muito exigentes na hora de escolher serviços, especialmente aqueles referentes ao seu dinheiro. Eles cresceram tendo o poder da internet nas mãos, com a possibilidade de pesquisar e escolher produtos ou serviços que atendessem exatamente às suas expectativas. 


Mais do que isso, com tantas fintechs surgindo todos os anos, os millenials têm opções para escolher, e eles não hesitarão em trocar de serviço se aquele que estiverem usando não oferecer mais a qualidade que esperam.
O mercado financeiro, em todo mundo e no Brasil, enxergou essas mudanças — que tendem a se tornar mais claras na medida que a geração Z, a geração mais nova, chega à maioridade. Por aqui, foram investidos US $ 2,4 bilhões em fintechs nos últimos cinco anos.


O impacto das fintechs nos bancos tradicionais


Ao longo dos últimos cem anos, o mercado financeiro foi dominado pelos chamados bancos tradicionais. Se tratavam de grandes empresas, com lucro nas casas dos bilhões e com procedimentos burocráticos que, na maioria das vezes, criavam um sentimento de repulsa no consumidor só pela ideia de ter que “ir ao banco” para resolver um problema.
Segundo uma pesquisa realizada pela Cantarino Brasileiro, quase metade dos usuários de serviços financeiros no Brasil possuem ao menos uma conta em um banco digital e uma em um banco tradicional. O grande crescimento das fintechs fez com que os grandes bancos ficassem em alerta. No últimos anos, eles tiveram que se reinventar para competir com os serviços rápidos e práticos das fintechs.


Outra pesquisa, da PwC, mostrou que, globalmente, 82% dos bancos tradicionais estão buscando fazer parcerias com fintechs para melhorar seus próprios serviços. Não obstante, grande parte dos serviços oferecidos pelos bancos tradicionais de hoje pode ser contratado virtualmente.


Contudo, os grandes bancos ainda ficam atrás das fintechs em muitos sentidos. Por muito tempo, as contas digitais eram as únicas a oferecer transferências online gratuitas, não importa se realizada entre contas do mesmo banco ou não. Os bancos tradicionais, por outro lado, permaneciam cobrando taxas altas pelo mesmo serviço.


Isso, no entanto, está mudando com a chegada do PIX, o sistema de pagamentos instantâneos lançado pelo Banco Central. Com ele, os bancos tradicionais mais uma vez deverão se adaptar e oferecer, assim como as fintechs, transferências online gratuitas para contas de qualquer instituição. O PIX ainda tornará as transações universais, permitindo que elas aconteçam em qualquer dia e horário, e não só em horário comercial.


Benefícios das fintechs para o consumidor: por que elas crescem tanto?


Então, quais são as vantagens das inovações que as fintechs trouxeram e que geraram tantos investimentos nos últimos anos? Vamos dar uma olhada:


Preço: um aspecto fundamental da fintech é que cada inovação traz uma redução potencial de custo, não apenas para as empresas, mas também para o consumidor. Com os algoritmos se tornando cada vez mais inteligentes e capazes de julgar coisas como risco de empréstimo com mais precisão, a automação de muitos processos significa que menos presença física será necessária e a economia de custos pode ser repassada para os clientes;

Rapidez: as fintechs oferecem serviços, em sua maioria, instantâneos. Digamos que você esteja procurando empréstimos de curto prazo, por exemplo, encontrará muitos credores oferecendo um retorno rápido em seus serviços;

Acessibilidade: o rápido desenvolvimento das fintechs também está ajudando a trazer novas oportunidades para aumentar a transparência, reduzir custos e também tornar as informações mais acessíveis. Elas estão ajudando a garantir que essas informações estejam ao alcance do consumidor;

Segurança: com as inovações de velocidade, vem a necessidade de protocolos de segurança mais rígidos, e as inovações da fintech também influenciaram nisso. Uma inovação emergente que serve de exemplo do uso da tecnologia de segurança é a autorização biométrica. Além disso, o desenvolvimento da tecnologia Blockchain ofereceu uma maneira segura de armazenar dados em milhares de servidores e revolucionou os mercados financeiros. 


Com isso, o futuro das fintechs no Brasil é promissor. Nos próximos anos, continuaremos a ver o aumento das inovações trazidas por essas startups, especialmente com a aprovação pelo governo do Sandbox regulatório que dará às fintechs mais elasticidade para experimentar no mercado.


E você, o que espera do futuro das fintechs? Comente abaixo e compartilhe suas ideias conosco!

Se faz sentido para você e quer nosso contato, solicite aqui!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *