pixel

Open Banking: 5 motivos para aproveitar esta oportunidade

open banking
iphone

Seguindo o nosso compromisso de descomplicar os temas, aproveitamos para organizar alguns motivos para participar do Open Banking neste momento, boa leitura.

Organizamos esse “top” 5 motivos para entrar no Open Banking:

  1. Participar do ecossistema Open Banking de inovação, sem o compromisso de grandes desembolsos financeiros, ou seja, garantir um modo mais eficiente de entregar produtos e serviços financeiros.
  • Conceder ao seu cliente uma experiência mais agradável com base no perfil de cada um deles no mercado financeiro.
  • Outros mercados estão com iniciativas semelhantes como o Open Insurance, que deve fomentar uma maior eficiência no mercado de seguros, logo a convergência do Open Banking, PIX e Open Insurance trazem uma grande quantidade de oportunidade de negócios.
  • Participar desta camada de forma nativa preserva a eficiência do processo sem custos exorbitantes de atravessadores.
  • Reciprocidade! Os participantes que de alguma forma consultam dados de clientes são obrigados a também compartilhar os dados de seus clientes, esse fato deixa o mercado mais competitivo, ao mesmo tempo que permite uma certa igualdade entre os participantes.

A CashWay possui uma solução nativa para o Open Banking, 100% integrada com todas as nossas demais soluções, sem a necessidade de contratações adicionais ou grandes investimentos além de estar completamente adequada as normas da LGPD.

Fale com nosso time agora mesmo.

Introdução ao Open Banking

open banking
Imagem: https://openbankingbrasil.org.br/

A partir de hoje vamos lançar uma série de artigos sobre o tema Open Banking, abordando temas diversos como tecnologia, usabilidade, impacto social etc.

O tema Open Banking vem sendo amplamente discutido em diversos fóruns da comunidade de tecnologia aberta, dentro e fora do país.

Diversos países iniciaram a implantação do modelo de Open Banking e o Brasil não ficou de fora deste movimento, criando grupos técnicos de trabalho para estudar e implementar o modelo.

Mas o objetivo deste movimento é fomentar o desenvolvimento de novas oportunidades no mercado através de uma maior transparência de dados e facilidade de acesso aos mesmos.

O que se busca é uma sinergia ente um meio de pagamentos mais dinâmico (PIX), uma proteção regulatória mais técnica (LGPD) e uma camada de APIs padronizada que facilite o desenvolvimento de novas soluções.

A implantação do modelo Open Banking já começou, as fases foram divulgadas pelo Banco Central do Brasil assim como a lista de participantes.

O calendário do Open Banking respeita as seguintes datas:

#Data de inícioAtividades Relacionadas
101/02/2021O Open Banking começa com as instituições participantes disponibilizando ao público informações padronizadas sobre os seus canais de atendimento e as características de produtos e serviços bancários tradicionais que oferecem. Nessa fase, não será compartilhado nenhum dado de cliente.   Com isso, podem surgir soluções que comparam diferentes ofertas de produtos e serviços financeiros, auxiliando as pessoas a escolherem a opção mais adequada ao seu perfil e necessidades. Entre as possíveis soluções que podem surgir estão os comparadores de tarifas bancárias, de tipos de contas e de cartões de crédito.
213/08/2021A partir dessa fase, os clientes, se quiserem, poderão solicitar o compartilhamento entre instituições participantes de seus dados cadastrais, de informações sobre transações em suas contas, cartão de crédito e produtos de crédito contratados. É preciso reforçar que o compartilhamento ocorre apenas se a pessoa autorizar, sempre para finalidades determinadas e por um prazo específico. E será possível para o cliente cancelar essa autorização a qualquer momento em qualquer das instituições envolvidas no compartilhamento.   Como principal benefício, será possível aos clientes receber ofertas de produtos e serviços mais adequados ao seu perfil, a custos mais acessíveis e de forma mais ágil e segura. Também poderão surgir soluções mais personalizadas de gestão e de aconselhamento sobre finanças pessoais, por exemplo. O ecossistema financeiro como um todo também ganha com mais inovação, maior competitividade e com a racionalização de processos.
330/08/2021Nessa fase, surge a possibilidade de compartilhamento dos serviços de iniciação de transações de pagamento e de encaminhamento de proposta de operação de crédito.   Isso abre caminho para o surgimento de novas soluções e ambientes para a realização de pagamentos e para a recepção de propostas de operações de crédito, possibilitando o acesso a serviços financeiros de forma mais fácil, célere e por meio de canais mais convenientes para o cliente, preservando a segurança do processo. Vale lembrar que também nesses casos o compartilhamento só acontece com a autorização prévia e específica do cliente.
415/12/2021Dados sobre outros serviços financeiros passam a fazer parte do escopo do Open Banking. Os clientes – sempre que quiserem e autorizarem – poderão compartilhar suas informações de operações de câmbio, investimentos, seguros, previdência complementar aberta e contas-salário, bem como acessar informações sobre as características dos produtos e serviços com essa natureza disponíveis para contratação no mercado.   Assim, amplia-se ainda mais a possibilidade de surgimento de novas soluções para a oferta e a contração de produtos e serviços financeiros, mais integrados, personalizados e acessíveis, sempre com o consumidor no centro das decisões.

A CashWay desenvolveu uma camada de APIs certificada para operação no Open Banking com integração nativa para o legado da instituição financeira, isso significa que você não terá nenhuma integração adicional para participar dessa novidade.

Para obter mais informações, entre em contato com nosso time.

Coopcred – Inovação digital para as cooperativas.

coopcred

O objetivo deste artigo de longe é exaurir o tema inovação digital no coopcred para as cooperativas, todavia buscamos sustentar o debate técnico aumentando a sinergia entre as cooperativas de crédito do brasil e as demandas de inovação de seus associados através da plataforma CashWay coopcred.

Toda esta mudança “repentina”, – inovação digital no coopcred – na verdade é o resultado de uma série de ações estratégicas, posso destacar aqui a Lei 12.865 que institui dentre de seu escopo uma entidade muito importante, a Instituição de Pagamento.

As IPs (Instituições de Pagamento) assumiram papel relativamente importante na inovação, focando em produtos e serviços que antes estavam concentrados em algumas instituições, o objetivo das IPs foi trazer esse portfolio a toda a população e com isso também facilitou a abertura desses produtos e serviços para as instituições de menor porte, a ex. das cooperativas de crédito.

Com a inovação digital no coopcred para as cooperativas , conseguimos juntar IPs, SCDs e Cooperativas em um único software, respeitando suas particularidades mas agregando o compartilhamento de alguns serviços fundamentais.

Com as mudanças, novos participantes, maior facilidade de acesso a produtos e a pressão por um mercado mais inovador, fez com que o BACEN (Banco Central do Brasil) encontra-se uma oportunidade de assumir o protagonismo de um sistema de liquidação em tempo real ente pessoas, importante destacar que o STR (Sistema de Transferência de Reservas) operado pelo BACEN já é um sistema RTGS (Real Time Gross Settlement System), mas essas transações ocorrem em tempo real apenas entre as IFs participantes do STR, o cliente final ainda não tinha essa segurança de ter as informações em tempo real. Exposto as dores o BACEN assume o desenvolvimento de um ambiente em tempo real (RTGS) que atenda todas as pontas do meio de pagamento, desde a iniciação até o recebimento das transações, o produto chamado de PIX e operado dentro do SPI (Sistema de Pagamentos Instantâneos).

Em sequência inicia-se a implantação de uma camada de Open Banking, – imediatamente implantada no coopcred – também centralizada em um diretório único e padronizado. Esta padronização permite que empresas de tecnologia e sistemas de tecnologia possam desenvolver inúmeras soluções para o mercado financeiro, sem a dificuldade de obter documentação para ter acesso aos dados financeiros. Claro que tudo isso está diretamente relacionado a autorização do proprietário dos dados, ou seja, o cliente.

A união do Open Banking (ou Open Finance) com o PIX criam margem para inúmeras soluções que devem beneficiar a população, e neste contexto que inovação digital no coopcred deve estar adequado para utilizar estas tecnologias.

Cito alguns serviços que sofrerão grandes mudanças no coopcred:

Abertura de conta

Concessão de crédito

Captação de depósitos

Pagamentos

Na CashWay / coopcred estivemos a frente, participando dos GTs (Grupos Técnicos) desde as fases iniciais de todos os projetos, e implantando junto aos maios provedores do país as estruturas necessárias para prover essas soluções no momento em que estivessem disponíveis.

Hoje aquilo que para muitas cooperativas de crédito para tão distante, para o portfolio da CashWay já é realidade.

Trazer o seu cooperado uma realidade mais acolhedora e ao mesmo tempo convergente com tudo isso que vem acontecendo, tem total sinergia com a inclusão financeira das pessoas, o que do nosso ponto de vista é um dos nobres papéis do cooperativismo.

Conte conosco nessa jornada, para conversar com a CashWay e conhecer o coopcred basta clicar aqui.

Um abraço a todos.

Felipe Santiago

CEO & Co-Founder

O “misterioso” universo das contas digitais

conta digital

Posso começar esse texto falando do meu objetivo, esclarecer de uma forma muito simples como funciona uma conta digital, e em qual momento ela pode ser muito útil para o seu modelo negócio.

Primeiro vamos falar de conta digital, e neste aspecto eu gosto muito de substituir a palavra conta digital por “pagamento”, vocês irão entender no final deste texto. Lembra da conta que você tinha no mercadinho, aquele caderninho de anotações (em alguns lugares conhecido como fiado), pois então, aquilo nada mais é do que uma conta de pagamento pós-paga, de forma bruta a conta de pagamento pós-paga possui uma relação de confiança entre as partes, neste caso o mercadinho que confiou em você quando você adquiriu algum produto e irá pagar posteriormente.

Simples né? Se precisar de uma base legal, clique aqui.

Neste aspecto os ambientes evoluíram, e um outro meio de pagamento muito famoso que utiliza um método de conta pós-paga é o Cartão de Crédito, aonde o emissor do cartão confia a você um determinado limite de crédito, e assume o risco de honrar aquele pagamento aos estabelecimentos comerciais caso você não pague a fatura.

Agora que você já entendeu do que se trata uma conta de pagamento pós-paga ou conta digital, vamos falar sobre a conta de pagamento pré-paga, e para isso vamos voltar ao exemplo do mercadinho. Imagine que o mercadinho não tenha interesse em fazer uma “continha fiado” para você pagar depois. Neste momento você propões outro formato, então você diz a ele que prefere deixar então um crédito de R$ 300,00 no mercado para que você não precise ficar o tempo todo tendo de sacar dinheiro (obviamente hoje em dia com os avanços dos meios de pagamento isso nem faz muito sentido, mas existia), logo o mercadinho recebe seu dinheiro adiantado, e começar a anotar suas compras naquele mercado, nesse momento o mercadinho abriu para você uma conta de pagamento pré-paga!

A mesma coisa ocorre com a sua conta corrente no banco (ressalvado quando você utiliza limites de crédito concedidos pela IF), quando você está consumindo recursos de depósito a vista, a similaridade com a conta de pagamento pré-paga é muito grande. Não posso aqui afirmar que ambas são a mesma coisa pois existem regulações específicas para ambas as terminologias, mas essa não é nossa discussão, e fico confortável em falar em similaridade.

Agora qual a diferença entre contas de pagamento e conta digital, a resposta é nenhuma, ambas tratam do mesmo tema, as contas digitais são apenas uma variação do nome conta de pagamento para o mundo digital.

Acredito que através deste texto posso ter ajudado em esclarecer a diferença e aplicação de contas digitais em modelos de negócios variados e que algum deles possam ter “fit” com o seu.

Clique aqui para conhecer mais sobre os novos modelos de negócio como OpenBanking ou entre em contato para uma demonstração de nossos produtos.

Um grande abraço.